As mais recentes novidades sobre viagens, línguas e cultura dadas pela EF Education First
Menu

O Que O Teu Professor De Línguas Gostava Que Soubesses

O Que O Teu Professor De Línguas Gostava Que Soubesses

A maior parte dos aprendizes de línguas chegam a um obstáculo, algures no seu percurso. Talvez o teu progresso não tenha sido tão rápido como estavas à espera, ou estás a ter dificuldades em avançar para o nível seguinte, e não compreendes porquê. Bem, eu tenho uma ideia sobre o porquê e o teu professor, com certeza que sabe. Detesto ser desmancha prazeres, mas talvez esteja na altura de te veres ao espelho e fazeres uma mudança ou duas.
Aqui fica o que o teu professor gostava que soubesses sobre a aprendizagem de uma língua, e o que ele ou ela espera que tu mudes (implementa as nossas melhorias sugeridas e é quase garantido que vais ter um progresso muito mais rápido).

Amigos dentro da sala de aula, podem ser um inimigo.

Uma sala de aula de uma língua tipicamente estrangeira, será composta por alunos de toda a parte do mundo. À primeira vista, toda a gente – bem, excepto aquele aluno super confiante! – vai parecer nervosa, à procura de colegas para se sentar ao lado. Muitos acertam na lotaria: encontram um estudante com a mesma língua nativa. Alguém para conversar e fazer o trabalho de pares contigo. Alguém que te percebe. Ótimo, não é? Errado!! Enquanto estiveres na aula, o teu novo amigo vai ser mais um inimigo – um inimigo contra a aprendizagem da língua. Se se tornar hábito que te sentes com ele nas aulas, o teu progresso vai abrandar. Isto porque a tentação de falar a vossa língua nativa, eventualmente se vai tornar forte demais, e vocês vão deixar de se desafiar nas aulas.

Resumindo: vais estar a sabotar o teu desenvolvimento do ouvir e falar.

Como corrigir: Se tens um amigo que fala a mesma língua que tu, cumprimenta-os antes da aula, mas depois dividam-se até a mesma acabar. Durante a aula, desafia-te e senta-te ao pé de um aluno diferente todas as vezes, ou pelo menos, não ao pé de alguém que partilhe a mesma língua materna contigo. Interagir com vários alunos com diferentes capacidades e línguas nativas, vai desafiar-te a comunicar mais eficazmente e vai ajudar-te a aprender mais rapidamente.

Os trabalhos de casa servem mesmo para alguma coisa

“… e este é o trabalho de casa para a próxima aula”, termina o professor de dizer. “Perfeito”, pensas tu, enquanto apontas no caderno. As tuas intenções são boas…mas quando chega a altura da aula seguinte, o teu caderno está igual ao que estava antes. Trabalho de casa? Qual trabalho de casa? “Ahh, pois”, dizes tu. “também não vai ser por causa disto”. Mas acredites ou não, o teu professor não manda trabalho para casa, apenas porque gosta imenso da sua voz – é para te ajudar a apreender melhor ao consolidares os conteúdos antes da próxima aula. Aprender uma língua estrangeira – como tudo – demora tempo e requere esforço, e ter algumas aulas por semana, sem estudar entre elas, só vai atrasar este processo.
Como corrigir: não deixes os trabalhos de casa para muito depois da aula terminar. Para criar este hábito, dá-te a um pequeno luxo sempre que fizeres o trabalho de casa, tal como ir a um café depois das aulas ou enroscares-te no sofá com uma bebida quente. Para pontos extra, concentra-te a sério no estudo e acaba as tarefas que tiveres entre as aulas: vê filmes e procura as novas palavras que fores ouvindo, aprende a letra de uma canção ou muda o idioma nas aplicações do teu telefone e aprende a mexer nelas.

Os objetivos não são só para o desporto

Amigos, isto de aprender uma língua não é fácil. Demora tempo, e é difícil veres o teu progresso durante a aprendizagem, e algumas das vezes até te vais sentir stressado e frustrado. Os professores vêm isto a toda a hora. O que eles tambem vêm, é como os estudantes que têm objetivos específicos tendem a obter melhores resultados. Os melhores objetivos são específicos e ligeiramente desafiantes, com um prazo definido. Estes funcionam bem porque direcionam a atenção para os pontos em que te tentas focar e indicam o teu progresso.
Como corrigir: identifica claramente o teu objetivo na língua(ex:. Em Outubro vou poder falar em Alemão com a mãe do meu amigo) e também os passo que precisas de fazer para o atingir(preciso de aprender a falar sobre família, trabalho, os meus gostos). Escreve o objetivo a que te propões e acompanha o processo regularmente. Algumas pessoas também acham útil partilhar os seus objetivos com amigos, para os tornar mais palpáveis.

O teu esforço é essencial para o teu sucesso

Uma das coisas mais difíceis para os professores é ver alunos que não levam os seus alunos a sério. Na verdade, aqueles estudantes – os que chegam atrasados, que usam o telefone, não acabam o trabalho de casa e se sentam ao pé dos melhores amigos – estão só a gastar tempo e dinheiro. Porque não existe um comprimido para se falar línguas, e aqueles que não foram criados num ambiente bilingue, tem realmente que se esforçar para aprender uma língua nova.

Por isso, não sejas este estudante. Senta-te direito e esforça-te.

Como corrigir: Tal como uma corrida de longa duração, aprender uma língua requere um esforço contínuo no tempo – não são os 100 metros! Em vez de te esforçares nas 2 horas antes das aulas, dedica 20 ou 30 minutos para a disciplina todos os dias. Faz os trabalhos de casa, usa cartões com imagens, lê ou usa as dicas que aqui foram dadas. Bónus: para entrares no ritmo certo antes da aula, chega a horas e aproveita alguns dos momentos para te acalmares e reveres a matéria dada antes da aula começar.

Tu consegues. A sério, tu consegues!

Se achas que o teu objetivo de aprender uma língua é inatingível, há uma última coisa que o teu professor gostaria imenso que tu soubesses: tu és capaz! Acredita, eu sei(eu antes era professor!). Vai ser necessário planeamento, consistência e que definas os objetivos, mas os resultados vão valer o esforço.

Aprende uma língua com a EFSaiba mais

Compartilhe esse artigo

Últimos artigos de Línguas