As mais recentes novidades sobre viagens, línguas e cultura dadas pela EF Education First
Menu

10 factos divertidos sobre línguas

10 factos divertidos sobre línguas

Estima-se que existam 7.000 línguas no mundo, desde o chinês mandarim, falado por aproximadamente um bilião de nativos, até cerca de 200 línguas artificiais como o Elvish, falado apenas pelos (imaginários) Elfos do épico J.R.R. Tolkien e pelos seus fãs obstinados.

Com tal escala e variedade na forma como os humanos se expressam, há toda uma séria de factos divertidos que podemos descobrir. Aqui estão os nossos 10 principais:

1. Apenas onomatopeias

Independentemente do quão natural as tuas possam soar, as onomatopeias não são universais. Os ingleses usam “snip snip” para re referirem a uma tesoura a cortar, enquanto que no Japão dizem “cocki cocki”. As buzinas dos caros fazem ““düt düt” na Turquia em vez de “beep beep” e os comboios coreanos fazem “chik chik pok pok” em vez de “pouca terra, pouca terra u-uuu” como em português. O reino animal também proporciona inúmeras comparações. Em Afrikaans, as abelhas fazem “zoem-zoem” (não bzzz) e em Bengali as vacas dizem “hamba” (em vez de “moo”). O canto do galo também é diferente nas várias línguas: o inglês “cockadoodle-doo” transforma-se em “có-có-ró-có-có” em português, “kikeriki” em alemão, e “goh-geh-goh-goh” em chinês.

2. Uma longa história

Juntamente com a muito conhecida antidisestablishmentarianism há algumas outras palavras que enchem a boca para tentar memorizar. Pseudopseudohypoparathyroidism é um distúrbio da tiroide, o supercalifragilisticexpialidocious da Mary Popins aparece, na verdade, em alguns dicionários, e (curiosamente) hippopotomonstrosesquipedaliophobia é uma fobia a palavras grandes. Mas as palavras grandes têm algum valor? Isso é uma preferência pessoal – embora penses que não, fica a saber que o ato de descrever algo como sendo de pequena importância é outra palavra grande: floccinaucinihilipilification.

3. As letras contam

Os portugueses sabem que o seu alfabeto tem 26 letras mas podem não se aperceber que isso não é um padrão. Rotokas, uma língua falada na Papua-Nova-Guiné, tem apenas 11 letras, o que faz deste o alfabeto mais pequeno do planeta. A coroa para o alfabeto com mais letras vai para o Khmer, falado no Cambodja, com 74 letras.

4. Um monte de carateres

O chinês (mandarim/cantonês) ostenta 50.000 carateres, o que são imensos para lembrar, mas se estás a aprender chinês, não te preocupes. Para ler um jornal “só” precisas de saber 2.000 carateres.

5. Qual delas veio primeiro?

A questão de qual é a língua mais antiga não pode ser respondida verdadeiramente porque as línguas faladas e culturas que têm tradições exclusivamente faladas não são tidas em conta. As línguas mais antigas com registos escritos são o hebraico, o sânscrito, o sumério e o basco.

6. Linguistas criativos

Mais de 200 línguas artificiais – chamadas por vezes de línguas construídas ou “conlínguas” – foram criadas desde o século XVII. Muitas delas foram inventadas por filósofos para usarem entre si, apesar de as línguas artificiais modernas (como a Elvish, Klingon, Na’vi e Dothraki) terem sido criadas para a cultura popular, comércio e negócios.

7. Hora das rimas

“E” é a letra e vogal mais comum em inglês e “R” é a consoante mais comum. Apesar de haver mais palavras que começam pela letra “S”. Algo particularmente engraçado sobre o inglês é a sua longa lista de palavras que não rimam com nenhuma outra. Vê por exemplo silver, bulb, angel, month, husband, wolf, purple, hungry e wasp.

8. Sinónimos em abundância

Algumas línguas têm conceitos culturais ou gastronómicos com dezenas de sinónimos (tornados famosos pelas línguas esquimó Inuit e pelas muitas palavras Yupik para neve). Há 27 palavras albanesas para “bigode” incluindo “dirs ur” para a pelugem facial de um adolescente) e 43 palavras em somali para designar “camelos”. No Hawai, há 108 palavras para descrever “batata-doce”, 47 para “bananas” e 200 para “chuva”.

9. O maravilhoso mundo dos semordnilaps

Uma palavra que forma outra quando soletrada de trás para a frente – por exemplo stop > pots – é uma semordnilap ( resultante de “palindromes” ao contrário). Alguns exemplos de semordnilaps em inglês incluem: diaper > repaid; desserts > stressed, evil > live, dog > god, drawer > reward, gateman > nametag e smart > trams.

10. Sotaque de línguas gestuais

Como não existe coisa pior que não ter sotaque numa língua falada, também há sotaques em linguagem gestual. Isso é porque a linguagem gestual não é uma tradução ou representação direta de uma língua falada, mas uma linguagem própria com a sua própria gramática, idioma, gírias e expressões. Pessoas surdas de nascença conseguem facilmente dizer se outra pessoa é surda de nascença, ouve ou é surda recentemente. Nos Estados Unidos, os nova-iorquinos são conhecidos for serem rápidos a fazerem gestos, enquanto que em Ohio são mais calmos. Os sotaques até podem ser comunicados com estilos diferentes de gestos, como gestos para comunicar um sotaque do sul por exemplo.

Aprende uma língua connosco!

Compartilhe esse artigo

Últimos artigos de Línguas